segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Encontro Comunitário na Passagem de Ano

Queridos Caminhantes do Reino:


Graça e Paz da parte do Eterno e do Mestre.


Em nosso último Encontro Comunitário (14/12), discutimos sobe a possibilidade de no dia 31/12 realizarmos um Encontro Comunitário de passagem de ano, onde realizaríamos uma "Ceia" (muito provavelmente c/ churrasco), para podermos celebrar juntos esses momentos como pessoas normais que comungam o mesmo ideal de fé. Como praticamente todos nós viemos do meio evangélico, estávamos habituados à passa a virada de ano na igreja (instituição), "de joelhos", "orando", apresentado nosso "envelope de ofertas contendo nosso projeto de vida", nada contra isso, nem também a favor, a verdade é que, livre de "ranços", gostaríamos de valorizar as nossas relações de irmandade e de amizade, verdadeiramente celebrando juntos, no Caminho, demonstrando o valor que temos uns para com os outros, em verdade, união e amor, demonstrando que esse momento que vivemos para nós é importante, a Estação é importante, o movimento "Caminho da Graça" é importante para nossas vidas, eu sou importante para vocês, e vocês para mim. Se for assim, estaremos celebrando com muita alegria, como pessoas normais, a nossa humanidade, a nossa amizade, a Estação, e entrando no ano de 2009 juntos, pois juntos, temos muito que fazer ano que vem, "se o Eterno quiser".
Sendo assim, gostaríamos que todos vocês, sem exceção, nos encontrássemos no nosso próximo Encontro Comunitário, domingo, dia 21/12, às 10 horas, na Escola Geraldo Teixeira, porém, entrando pelo portão descendo em sentido ao SENAI, no mesmo local do Encontro das Estações, onde, querendo Deus, passaremos a realizar todos nossos Encontros, para tratarmos desse assunto, que pelo menos para mim, é de vital importância, pois se trata de passarmos um momento juntos, privilégio esse, que custou a vida de um "Santo", que teve que morrer na Cruz por nós, para que pudéssemos desfrutar de um momento como esse, desde que, com essa consciência.
Vamos nos organizar, queremos fazer uma “Ceia" nos moldes medievais, com um leitão inteiro assado com uma maçã na boca, taças de prataria de Castelos transbordando de vinhos, desde que seja com o mesmo espírito que Paulo exortou em sua primeira Carta aos Coríntios.

No mais, aguardamos vocês no domingo dia 21/12 no espírito da unidade do vinculo estabelecido na Cruz do Calvário.


Nele, que desejou ardentemente cear pela última vez com os seus discípulos.


Que a Graça do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo seja com todos e suas Casas.



Márcio Alebral


"O Caminho da Graça não é um lugar, são as pessoas."

ANJOS SÃO ESPÍRITOS AMIGOS DE DEUS E DOS HOMENS!

Anjos são espíritos ministradores em favor dos que hão de herdar a salvação, nos diz a Escritura. Sim! Anjos são espíritos! E o que é um espírito? Ora, ninguém sabe, sabendo-se apenas que um espírito é um ente cuja existência não acontece nos ambientes do tempo, do espaço e das energias mensuráveis por nossos aparatos ou sentidos. Assim, quando a Escritura diz que anjos são espíritos, ela nos define a natureza dos anjos. Anjo, de fato, apenas significa mensageiro. Paulo diz em I Corintios 14 que os dons do Espírito Santo também são ministrados aos homens por espíritos. O “Espírito” concede, mas os anjos [espíritos] “ministram” tais dons aos homens. A questão é que para o crente os anjos são seres totalmente estereotipados. Nem mesmo as descrições bizarras que a Bíblia faz de anjos, com semelhanças indefinidas e estranhas, são levadas a sério pelos crentes. Até anjo para se manifestar ao crente precisa vir com a cara esperada pela religião. Se vier com outra cara o crente repreende o anjo em nome de Jesus. Na realidade, os anjos estão presentes sempre em nosso mundo e ambientes. Por vezes já os discerni de modo invisível, tanto quanto já os percebi de modo “disfarçado”. Quando nossos sentidos se desentupirem, então, veremos como fomos acompanhados de dia e de noite, e, também, veremos a quantidade de perigos fora da hora que em nossas vidas foram evitados. No entanto, se a Escritura fala de anjos, não o faz para que eles sejam invocados ou venerados, mas apenas para que se saiba dos cuidados divinos em nosso favor. Ninguém tem que “chamar” anjo em socorro. Quem confia em Deus conta com miríades de anjos. Quem os comanda os anjos é Deus, e não o homem. Portanto, basta que eu confie no Senhor, pois, Ele é Quem decide que anjo e de que modo meu socorro vem. Jesus mandou fazer amizade com anjos quando recomendou que mesmo o mais infiel dos administradores humanos assim procedesse, fazendo amizades entre homens e anjos (Lc 16). Amizade com anjos decorre de nossa amizade com Deus e com os homens! Quem anda em amor, justiça e fé torna-se amigo de Deus e dos homens; e, portanto, conta com profunda amizade de anjos no mundo invisível.

Pense nisso!

Caio 15 de dezembro de 2008

Lago Norte

Brasília

DF

www.caiofabio.com
www.vemevetv.com.br

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Apenas 2 denários!

Apenas 2 denários!

Domingo à noite, após a reunião no caminho da graça, fomos até o centro da cidade para ver uma apresentação natalina. Estava muito cheio gente e permaneci de longe tentando ouvir. Passado algum tempo chegou uma pessoa que fazia um tempo eu não via. Uma cristã verdadeira, porém absorvida em pensamentos e concepções evangélicas, que não do Evangelho. Não a julgo de maneira nenhuma, pois faz o que muito fiz. Por aqui nesses dias é inevitável as perguntas: “ E vocês estão bem? Foram afetados pela enchente?”. Após saber que tudo estava bem, ela começou sua explanação de livramento: “Eu passei a noite repreendendo pra gente ficar imune, afinal Deus faz diferença entre seus justificados pelo sangue de Jesus. Mesmo que seja verdade que muitos crentes foram atingidos” E eu sem querer ser grosseiro só dizia: “pois é”. Tentei desconfortá-la: “Acho que quem Deus “imunizou” tem o dever de ajudar os afetados não é? Fiquei triste de ver igrejas mantendo suas programações normais, enquanto a água engolia muita gente. Sua igreja fez algo em favor das pessoas?” . “Não” ela me disse. “temos lá 3 cestas básicas mas Deus não nos mostrou o que fazer com elas”. Eu ouvi isso ao fundo de hinos cristãos em praça pública, executados por “mundanos” que fizeram uma campanha pra arrecadar brinquedos usados pra crianças na redondeza pra não passarem o natal em branco. Fui remetido a uns minutos antes, quando estávamos na reunião da estação lendo em Lucas 10, o bom Samaritano, onde conclui: Um teólogo perguntou a Jesus: Mestre que devo fazer pra ser um salvo? Ao que Jesus respondeu: Como resumes tua teologia? “ Amar a Deus sobre tudo e de toda forma, e o próximo como a si mesmo” – respondeu o teólogo. E Jesus retornou: “bingo”, faz isso e serás salvo. Infelizmente, Jesus ouve sua última pergunta:“Quem é o meu próximo?”.Então Jesus decide contar uma história: Certa família foi pega de surpresa por uma tragédia. Uma chuva intensa, fez com que um barranco desmoronasse nos fundos de sua casa e trouxe lama até sua cozinha. Eles olharam e viram que muito mais podia vir abaixo. Quando desceram a rua pra pedir ajuda pra salvar os móveis, perceberam que estavam ilhados pela água que havia tomado a rua com mais de 1 metro de altura. Ficaram desesperados por uns 4 dias, mesmo tendo sido alojados num galpão de uma igreja católica pela defesa civil. Pouca coisa sobrou de seus poucos pertences e a casa condenada. Diante da situação um pastor lamentava, pois as coisas podiam ser diferentes se esse povo se voltasse pra Deus. Desse modo as pessoas ficariam protegidas, assim como ele foi. Por isso não pode parar, ele tinha um culto pra prestar ao Deus que o socorreu. Era também dia de entregar sua oferta no altar. Logo depois, passou um ministro gospel, que teve de fazer um contorno imenso por outro caminho pra chegar no templo. Quase chegou atrasado pra campanha de 72 horas de louvor sem interrupção. Felizmente chegou bem no horário de sua escala. Pra salvação da família que havia perdido tudo, um próximo bem distante, quem sabe de Recife, São Paulo ou Porto Alegre ou mesmo do outro lado da cidade, falou com sua patroa:“ Pega umas roupas e aquele colchão do quarto de visitas. Pega também uns 2 denários lá na gaveta pra comprar uns mantimentos. Tem uma carreta que vai levar isso pra umas pessoas que precisam mais do que nós. Depois com o décimo terceiro a gente vê se consegue ajudar um pouco mais. No final a pergunta de Jesus: Qual desses é o próximo?Amar a Deus com força, coração, alma e entendimento é direcionar o serviço ao próximo, mesmo que seja com apenas 2 denários.
Denário = renda pelo trabalho de 1 dia. Na média salarial brasileira uns R$ 25,00.

"Não temo o julgamento final, sei que seremos julgados por um olhar de criança... - Jean-Yves Leloup"

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

A IGREJA QUEBRA GALHO DA VIDEIRA

Jesus disse que Ele está para nós assim como a Videira está para os ramos.

Sem videira todo ramo é pedaço de pau e somente isto.

Sim! É madeira morta, boa para ser queimada.

Os cristãos, no entanto, foram enganados e deixaram-se enganar, pois, desde que se determinou que "fora da igreja não há salvação", que a Videira passou a ser a "igreja", e, também, desde então, o Agricultor, que, segundo Jesus é o Pai, entre os cristãos é o Pastor, ou, em alguns grupos, o Corpo de Doutrina pelo qual se faz a "poda" de membros.

Assim, para o crente, "permanecer em Jesus", [João 15], é permanecer firme na "igreja", freqüentando, participando e se submetendo a tudo.

Do mesmo modo, "dar fruto", segundo os crentes e suas emoções condicionadas por anos de engano religioso, é evangelismo como programa, é acampamento como devoção, é célula de crescimento, é cantar no grupo de louvor, é ir à reunião de oração, e, sobretudo, é dar o dízimo em dia.

E o mandamento de amar uns aos outros é algo que os crentes entendem como amar os que são iguais a eles enquanto os tais não ficarem diferentes. Nesse dia eles viram desviados.

Ainda no mesmo andar de engano, os crentes pensam que "ser lançado fora" da Videira é ser disciplinado pelo Agricultor Pastoral ou pelo Conselho de Agricultura que aplica o Corpo de Doutrinas disciplinadoras e excludentes, aos quais supostamente não se equivocam ao separar o joio do trigo no campo do mundo-igreja.

Ser “amigo de Jesus” [João 15], para os crentes é estar em dia com a doutrina, o dizimo e a freqüência.

Assim, para a maioria dos crentes, emocionalmente, é assim que João 15 é sentido e praticado.

Ora, o resultado é o desastre cristão desses quase dois mil anos!

De fato, a religião cristã é um estelionato espiritual, pois, chama para si, como se fora Deus, aquilo que é de Deus e somente passível de realização Nele.

O que Jesus dizia era tão simples.

O que Ele dizia é apenas isto:

Absorvam a minha Palavra; o meu ensino; e o pratiquem com amor por mim e por todo ser humano. Se vocês sempre crerem que a Vida de vocês está em mim e vem da obediência ao mandamento do amor, então, vocês serão meus amigos; e, assim, toda a verdade de minha Palavra será fato e bem na vida de vocês. Mas, sem mim, sem vida em meu amor, sem absorção do Evangelho no coração, por mais que vocês tentem viver e buscar o bem, de fato vocês serão apenas como galhos soltos, secos e mortos; existindo sob o engano de que existe vida em vocês, quando, de fato, pela própria presunção de vocês, estarão mortos sem o saberem.

O resto a História do Cristianismo nos conta!


Caio

24 de novembro de 2008
Lago Norte
Brasília
DF


www.caiofabio.com
www.vemevetv.com.br

ADORO DE TODA A MINHA IGNORÂNCIA!

Quanto mais o tempo passa, mais sou esmagado pela minha ignorância.

Sim! Quanto mais vou sabendo, mais esmagado vou ficando pela constatação do que não sei; pois, quanto mais se sabe, sabe-se apenas mais ainda a fim de aprofundar a natureza e a sofisticação da ignorância.

Não sei quase nada sobre o Universo e seus multiversos; sobre seus anti-versos; sobre seus ambientes paralelos; sobre a sua natureza essencial; sobre suas criaturas e existências; sobre os infinitos mundos que existam dentro e fora do Universo; sobre a Terra, e tudo o que nela há; sim, sou cada dia mais ignorante; ignorante do que sei, e cada dia mais sábio sobre o que não sei...

Cada dia vejo como sou ignorante de mim mesmo e de tudo o que seja mistério no mundo.

Ignorância é minha condição!

Ao mesmo tempo, quanto mais me disponho a amar, mais vejo que o que existe não é feito de conhecimento, mas sim de sabedoria desinformada e caminhante na direção do que seja o amor como vida.

Assim, quanto mais meu saber aumenta, mais cresce minha ignorância; pois, todo saber apenas esclarece o tamanho do que nos falta como conhecimento.

Do mesmo modo, quanto mais reconheço minha ignorância, mais cresço em confiança; pois, meu maior esmagador de ilusões sobre o Sentido da Vida não é a Ciência, mas a Palavra.

A Ciência me dá ilusões de saber. A Palavra é que desmonta tudo, sempre me projetando para naturezas de existências e de possibilidades que estão muito para além da mais fascinante viagem cientifica ou ficcional.

Então, pela fé, fico sabendo o que basta; e isto não me desestimula na busca do saber.

Pela fé fico mais aberto do que qualquer cientista, cuja profissão preconiza uma mente aberta.

Sim! Fico mais aberto do que um cientista, pois, a ciência trabalha com as variáveis do “possível acordado cientificamente”.

Mas a fé decorre da confissão que diz:

“Os impossíveis dos homens são possíveis para Deus”.



Nele, em Quem sou esmagado de alegria de apenas confiar no Amor que não mente,




Caio
26 de novembro de 2008
Lago Norte
Brasília
DF


www.caiofabio.com
www.vemevetv.com.br

RECOMENDAÇÕES E RETROSPECTIVAS: BREVES & LEVES

RECOMENDAÇÕES E RETROSPECTIVAS: BREVES & LEVES

“A humanidade é desumana; mas ainda temos chances...” IO mundo está em crise.Mandaram que a gente resolvesse a crise comprando coisas!“Vamos ao shopping!” – e nossos problemas acabarão! Não faça isso, pois não vamos desmanchar a tal crise gastando suicidamente. Compre o que precisa. Só o que pode. Não faça dívidas para 2009, pois 2009 pretende ser meio difícil. Não gaste o que você não tem para gastar. No fim de ano, recomendo que você presenteie seus queridos com simplicidade, pois o amor autêntico vale mais e resisti às crises, em todos os tempos! Daí, dê abraços, escreva emails, beije, abençoe, ouça, agregue a sua família os solitários, enlutados e deslocados, chore com quem está chorando, e cante com quem está feliz! Ajunte tesouros inacessíveis às traças e às pragas da modernidade!E o Natal será até natalino!!! IISEXO SEGURO X SEXO PRECOCEReinado Azeredo, inteiro direitista, me cativou essa semana. No seu blog, ele questiona se é mesmo necessário convidar alunos e alunas de 12 a 13 anos a manipular em sala de aula um pênis de borracha, vestindo-o com camisinha, com o pretexto de instruí-los sobre a maneira correta de usar tanto um como o outro.Pois é. Eu penso que nada está tão ruim que não possa ficar pior: no ensino fundamental já não se aprende a ler e escrever (vide os alunos que chegam “as minhas mãos” na Universidade), mas o Programa de Saúde da Rede Pública quer ensinar crianças a transar com segurança! Nem questiono a importância da educação sexual nas escolas (eu ainda vivo nesse planeta!). Questiono a idade, e o método para essa idade. “Ah! Mas, eles todos já vivem “engatados” nos trenzinhos sexuais dos bailes funks...” Eita, e por causa disso vamos acatar que a adolescência é um baile de acasalamento??? Então, onde o barco não virou ainda, tentemos o contrário, meus amigos educadores: Vamos ensinar que crianças não fazem sexo, senão sob o preço de perder a juventude que virá! E enquanto os professores estiverem assim, perdidos na permissividade pós-moderna, assuma VOCÊ a educação sexual de seus filhotes, para que a sua filha não tenha que vestir um pinto na classe e desvesti-lo no primeiro encontro de curiosidade sob nossa licença alienada!Nossas crianças queriam tanto nossa repreensão amorosa e segurança paterna. Mas continuaram perdidas na busca de seus referenciais. Sozinhas. Perdidas. Pois esse é o tempo onde se admite perder a juventude desde que se a perca com saúde. IIIA expectativa de vida no Japão é 83 anos. Em Serra Leoa, 40.Sou profeta de um mundo previsível:Diga-me onde moras e te direi quando morres! IV Ranking dos 10 termos mais buscados no Yahoo em 2008: Em primeiríssimo lugar ficou o Big Brother Brasil 8 !O maior assunto de roda desse ano! Viva nossa falta do que fazer!'Gostei' da notícia fútil. Eh! Fiquei com a impressão que não temos problemas por resolver, pois é a ociosidade da mente alheia de si própria que nos leva a espionar a vida alheia em teatrinhos de intimidades “espontâneas” diante das 50 câmeras que as vigiam! Eu, doente de pensar em gente, gostei de saber que a gente não parece estar sofrendo tanto assim! Início do fim do ano/ 2008

Marcelo Quintela


Santos/SP


O Caminho é uma pessoa e seu nome é Jesus!

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

"ENCONTRO DAS ESTAÇÕES"

Queridos Caminhantes do Reino:


Graça e Paz da parte do Eterno e do Nosso Mestre Jesus.


Dia 29/11 (Sábado) às 19h30min. na Escola Estadual Geraldo Teixeira da Costa, situado à Rua Benedito Freire da Paz, N.º 213 - Bairro Boa Esperança, na Parte Alta da Sede do Município de Santa Luzia - MG (no "Morro do Sabão", ao lado do Posto Beira Rio e do Epa), teremos o "Encontro das Estações" (BH, Contagem, Stª Luzia e Uberlândia), com a presença do nosso querido e amado Chico (Brasília, fundador da Estação BH).
Não deixem de participar! Pedimos apenas para que cada Mentor entre em contato conosco informando se possível, o número de participantes de suas respectivas Estações estarão presentes nesse Encontro.

No mais,


Nele, que assumiu a condição humana para nos ensinar a ser humanos.


Que a Graça de Nosso Senhor e Salvador Jesus seja com todos vocês e suas Casas



-- Márcio Alebral


"O Caminho da Graça não é um lugar, são as pessoas".

AVISO AOS CAMINHANTES

Queridos Caminhantes do Reino:



Graça e Paz da parte do Eterno e do Mestre.



Mediante esse E-mail que o nosso querido e amado "Capitão" Riva "Nascimento", peço encarecidamente que os Caminhantes da Estação Santa Luzia confirmem suas presenças no "Junta", para que possamos proceder as inscrições que são limitadas, a fim de não atrapalharmos a organização do "Junta", garantirmos nossa presença, definirmos a questão do aluguel do Microônibus, Ônibus, Van, ou que for necessário, para que os nossos irmãos que estão organizando o "Junta", tenham condições de trabalhar.
Estou encaminhando em anexo a Relação de nomes dos participantes da Estação Santa Luzia, que disseram que vão participar do "Junta". Por favor, que tiver acesso a esse E-mail, veja a Relação, para completar ou corrigir algum dado se necessário, manifeste-se confirmando a participação ou informando se não vai participar. Conforme a Relação se todos que disserem, forem mesmo, teremos mais de trinta pessoas contando com as crianças, e eu preciso passar todas as informações ao "Capitão", até mesmo se é possível ir esse número de pessoas.
Confirmem o mais rápido possível, por favor.

No mais,


Nele, que ensinou que a nossa palavra deve ser "sim", "sim", "não", "não".


Que a Graça de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo seja com todos vocês e suas Casas.



Márcio Alebral

AVISO EXTREMAMENTE IMPORTANTE

Queridos,

Metade das vagas para o “JUNTA” ESPECIAL COM A PRESENÇA DO CHICO já foram preenchidas basicamente com o pessoal de BH e Uberlândia. Ainda aguardamos a lista do pessoal que virá de Contagem e Santa Luzia.

Como dito antes o número não poderá exceder a 60 pessoas.

Estamos frisando isto várias vezes pois sabemos que, infelizmente, muitos deixam para a última hora e estes correm o risco de ficarem de fora, pois realmente não poderemos abrir exceções.

Aproveito para pedir ao pessoal de Contagem e Santa Luzia que enviem suas listas para que possamos reservar as vagas, caso contrário corre o risco de terem suas participações limitadas.

O limite de 60 pessoas é para viabilizar o evento uma vez que não possuímos estrutura para atendermos mais de 60 pessoas em um único dia lá no sítio em Igarapé.

Abraços


Riva Moutinho

sábado, 8 de novembro de 2008

AVISO IMPORTANTE!

Aviso Importante!


Queridos Caminhantes do Reino:



Graça e Paz da parte do Eterno e do Mestre.



Amanhã, dia 09/11, às 10 horas, na Escola Estadual Geraldo Teixeira da Costa, situado à Rua Benedito Freire da Paz, 213 - Boa Esperança (Parte Alta/Morro do Sabão), na sede do Município de Santa Luzia - MG (Próximo ao Posto Beira Rio e o Supermercado Epa), onde qualquer ônibus para Santa Luzia que vai para a Parte Alta de Santa Luzia passa enfrente a Escola (exceto um Microônibus que sai da Estação São Gabriel com destino ao Bairro Corrego das Calçadas), teremos o nosso "Encontro Comunitário" com o "Caminho Convivência".
No mais, contamos e esperamos por vocês para participarem conosco.

Nele, que morreu na cruz e ressuscitou por nós para nos dar o privilégio de desfrutar de um momento como esse.


Que a Graça de Nosso Senhor e Salvador Jesus seja com vocês e suas Casas.



Márcio Alebral

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Ressalvas

Queridos Caminhantes:


Graça e Paz da parte do Pai Eterno e do Nosso Mestre Jesus.


Conforme conversamos em nosso Encontro Comunitário no Domingo passado (02/11), através do Estudo sobre a Carta aos Gálatas, demos início ao nosso processo de "Descontrução", promovento a "Doce Revolução do Evangelho", Evangelho esse, da Graça, da Simplicidade, da Humildade. Mas como explicamos, é preciso reconstruir toda a Casa edificada sobre a "areia" e reconstrui-la sobre a "Rocha", que é Cristo, única e verdadeira chave hermeneutica para se interpretar, entender, extrair a Palavra de Deus nas Escrituras, que é o próprio Cristo, o verbo vivo e encarnado (concepção que se assemelha ao pensamento"Kal Barth", mas que nada tem haver a esse conceito).
Peço desculpas se em algum momento, escandalizamos, mas é nossa maneira de ser, somos veementes e intolerantes com a "falsas verdades", "meias verdades", "verdades-mentiras", "falso evangelho", "dogmas e doutrinas de homens" ou melhor dizendo, "vaidade das vaidades, tudo é vaidade", ou seja o "anti-evangelho". Não estamos revoltado ou amargurados, apenas indignados com o estado de coisas em que se encontra aquilo que se auto intitulo o "Baluarte da Verdade", o "único caminho", "senhora absoluta da verdade", que prega um "evangelho" que não é o mesmo Evangelho pregado pelo Mestre, Paulo e demais Apostolos, mas que afirma ser o "verdadeiro evangelho", que o Apostolo Paulo chamaria de "Anatema".
Brincadeira, e olhar ao redor, pretação atenção e ver a "bandalheira", "pataquada", "patetisse" e "palhaçada" que virou esse grande "circo institucional evangelico" proporcionado pela grande maioria das "igrejas" (intituição) evangélicas brasileiras. A "Pax" anunciada não é de Cristo, mas "romana", e o que oferecem não é "pão e circo", mas "properidade e circo".
Mais uma vez peço desculpas pelo desabafo, mas a indignação é "profética", pois tenho total consciência de que preciso amar as pessoas, mas não posso me calar quanto ao que está acontecendo ao nosso redor.
No mais, que o Eterno não nos deixe perder de vista a Simplicidade, Humildade e a capacidade de indignar-se e não se conformar com o presente século.


Nele, que também se indignou com a hiprocrisia dos religiosos de sua época e não popou o "azzorague".


Que a Graça de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo seja com você e sua Casa.



Márcio Alebral

terça-feira, 28 de outubro de 2008

TEMPO DE QUALIDADE E QUALIDADE COMO TEMPO!

Entre 21 e 29 anos eu me tornei pai de quatro filhos, e, nesse meio tempo, sepultamos um filhinho, que morrei horas depois de nascido. Como tenho dito à exaustão, meu sonho mais candente como homem era ser pai. Paixão adquirida do amor de meu pai por mim e do prazer de a ela amar com tanto gosto e segurança. Dediquei-me os filhos de todo o meu coração. E fui presente, além de totalmente próximo em tudo, até hoje. Estimulava tudo o que de bom neles via, e tudo o que de ruim percebia, logo buscava espanar pela sabedoria, admoestação e ensino. Nunca fui chato. Nunca soltei os cachorros em cima deles. Nunca, zangado com outras coisas, me exacerbei no trato com eles. Alegrava-me o fato de todos fossem tão inteligentes e alegres. Sentia prazer ao ver que todos se amavam e se cuidavam. Olhava para eles e andava sem pedrinha no sapato. Ciro e Davi me ajudavam desde cedo. Ciro ajuda digitando, me ensinando a usar o computador [ele com oito anos], e, logo depois, aos 12, me ajudava em pesquisas e até no grego. Aos 13 anos foi passar uma temporada com uma amiga e sua mãe [a amiguinha com câncer terminar] nos Estados Unidos, em razão de que ele era homem adulto o suficiente para cuidar delas, alugar casa, moveis, comprar carro, internar a menina, ficar com ela, fazer todas as traduções entre ela, a mãe, o médico, as enfermeiras, e, com todos. Levava-as aos cultos e fez amizade com um pastor que pôde ajudá-las. Atravessou os Estados Unidos todo, sozinho, a fim de pegar o pai da menina, que, não falando nada de inglês, não se atrevia a fazer a viagem pela América sem a ajuda do menino. Tornou-se o tradutor de todos os de fala espana no Hospital. Ouviu a confissão da amiguinha que morria. Providenciou o funeral, e, depois, a remoção do corpo para o Brasil. Chegou aqui com o corpo, quatro meses depois, bem mais homem e responsável ainda. Sempre fez tudo com excelência, e, sempre foi homem, franco e objetivo, culto e discreto, prático no amor. Davi desde menino dizia: “Este é meu pai, é meu amigo, meu melhor amigo!”. E foi assim se comportou a vida toda. Cuidava dos irmãos mais novos como um homem adulto faz, desde os sete anos de idade. Aos 15 já trabalhava comigo, e nunca mais parou de trabalhar. Na Vinde, no passado, ele fez de tudo, da portaria à Superintendência da Vinde TV e da Revista Vinde. É o 2º na idade, mas na disposição do cuidado diário e freqüente com todos, é um primogênito gêmeo do irmão mais velho, Ciro. Os dois mais novos, Lukas e Juliana, divertiram-se muito e amadureceram bem mais lentamente do que os dois mais velhos. Os mais novos sempre foram muito bons meninos, mas cresceram sem os apertos que os dois mais velhos provaram. Assim, amadureceram na medida em que a vida os foi apertando. Hoje, com todos adultos, minha experiência com os netos, em companhia de minha mulher, Adriana, vovozinha querida, tem sido diferente da que tive com os filhos. Sem mais as correrias de viagens [as quais repudio desde de sempre, mas hoje digo “não” e pronto], o que fica é aquele amor com tempo, com ócio observativo, com cuidados sutis e alegrias propostas de nós para eles, tudo com muito encantamento e calma nas percepções. Nada substitui o tempo e a calma! Assim, agora, tenho a chance de melhorar o que sempre foi muito bom, Graças a Deus, mas que hoje pode ser praticado um dia depois do outro, sem interrupções. Tempo de qualidade pode acontecer com pouco tempo. Mas ninguém estabelece qualidade de tempo, sem tempo como qualidade. Assim, o tal tempo de qualidade pode assim ser de vez em quando, mas, para que seja efetivo, o tempo de qualidade necessita da qualidade também como tempo.

Caio 17 de outubro de 2008

Lago Norte

Brasília

DF

Leia: www.caiofabio.com

Assista: www.vemevetv.com.br

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Ceia Comunitária

Queridos Caminhantes do Reino:


Graça e Paz da parte do Pai Eterno e do Nosso Senhor Jesus Cristo!


No próximo Domingo, dia 26/10, às 10 Horas, na Escola Estadual Geraldo Teixeira da Costa (GETECO), situado a Rua Benedito Freire da Paz, 213 - Boa Esperança (ao lado do Posto Beira Rio e do Epa da Parte Alta de Santa Luzia - MG, no "Morro do Sabão), teremos nossa "Ceia Comunitária", para juntos celebramos o Sacrifício Vicário de Cristo Jesus na Cruz do Calvário por nós.
Fazemos isso com muita alegria e em "Memória Dele", com grande expectativa e anseio em nosso coração, por "aquele dia", que em breve será "Maranata", onde todos estaremos juntos a mesa com Ele, o "Cordeiro Eterno de Deus" sacrificado antes da fundação do mundo por todos nós.
Queremos nos ajuntar a todos, não numa mera obrigação e expectativa "numerica-religiosa", mas pela honra, "(espero eu), de estarmos demonstrando uma atitude de amor, reverência e obediência, e também pelo simples fato e grande privilégio de podermos estar juntos, celebrando a Graça (favor imerecido, do qual não somos dignos) que nos foi concedida na Cruz do Calvário, sendo preciso um justo morrer, o próprio Deus encarnar para morrer por nós, e morte de Cruz, para que fossemos um, e assim, tendo estabelecido o vínculo da unidade entre nós.Que seja essa nossa motivação para nos ajuntarmos solenemente no próximo Domingo, dia 26/10, as 10 Horas, para ceiarmos juntos.

Nele, que foi morto na Cruz por nós para que fossemos um, e nos deu um Novo Mandamento, que nos amemos uns aos outro como Ele nos amou.


Que a Graça do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo seja com todos e suas Casas.



Márcio Alebral

sábado, 18 de outubro de 2008

VOCÊ GOSTARIA QUE POUCOS FOSSEM OS SALVOS?

Para alguém se tornar cristão entre os cristãos e segundo a prática dos cristãos — o individuo tem que levantar a mão, aceitar a Jesus, ser batizado, freqüentar um lugar chamado “igreja”, dar o dízimo como imposto de renda mensal, e aprender as doutrinas da igreja. Ah! Se for casado tem que ser fiel pelo menos na aparência, se for solteiro tem que ficar casto, pelo menos na aparência. E também não deve fumar, beber e dançar. Assim fazendo será sempre um salvo-orgulho-da-igreja. Jesus, no entanto, não sabe de nada disso! Lucas 13 nos dá conta de que alguém perguntou a Ele se poucos seriam os salvos? A resposta de Jesus é dupla: De um lado disse que para quem vive de fazer contabilidade de salvos, a salvação é muito difícil, e mandou que se esforçassem a fim de entrar pela Porta. E mais: Disse que aqueles que se arrogam à salvação por convívio, estavam perdidos, pois, não adianta dizer “comíamos e bebíamos em Tua presença e ensinavas em nossas ruas”, visto que para Deus somente uma coisa interessa: se a pessoa a Ele se deu em entrega total ou não. “Nunca vos conheci”. “Apartai-vos de mim”. Então Ele diz que o inferno desses que faziam contabilidade de salvos, era justamente ver que para quem a salvação é apenas para poucos, a visão final seria a de que ela é para muitos. Por isto esse que deseja ser um dos poucos salvos, sofrerá choro e ranger de dentes ao ver que muitos vieram do Norte, do Sul, do Oriente, do Ocidente, e, entraram no banquete com Abraão, Isaque e Jacó, enquanto os filhos da herança histórica da informação da fé, de fora estarão, posto que somente quisessem controlar a salvação, ao invés de a ela entregarem-se, como o fazem o pagãos que apenas querem estar dentro, de preferência com todo mundo. Quem quer uma pequena salvação fica fora da tão grande salvação!
Nele,
Caio
15 de outubro de 2008
Lago NorteBrasília
DF

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

AVISO IMPORTANTE

Queridos Caminhantes do Reino:


Graça e Paz da parte do Pai Eterno e do Nosso Mestre Jesus.



Nosso Encontro Comunitário normalmente no Domingo, dia 19/10, às 10 horas, no GETECO (Escola Estadual Geraldo Teixeira da Costa, no "Morro do Sabão", na Parte Alta na Sede de Santa Luzia, ao lado do Posto Beira Rio e do Epa), onde continuaremos nosso estudo sobre a Carta aos Gálatas (O Perfil do Caminhante do Reino). Discutiremos também em nosso Encontro sobre uma possível data em comum para nossa Ceia Comunitária no mês de Novembro/2008, onde faremos literalmente uma ceia (jantar) a noite (como na última Ceia do Mestre).
Certo da importância de nos econtramos para podermos estar juntos no Domingo antecipo meus agradecimentos.


Nele, andou ensinando sobre o Reino e pregando o Evangelho das Boas Novas de Salvação.


Que a Graça de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo seja com todos e suas Casas.



Márcio Alebral

Estou no meu limite.

Estou no meu limite.


Ricardo Gondim.


Sei que existem pessoas sérias entre os evangélicos. Estou consciente de que mais de sete mil profetas ainda não se dobraram a Baal. Não esqueço o nobre testemunho dos que me precederam na militância da fé. Mas sinceramente, não dá...
Não dá para ver o avanço de vigaristas e charlatões prometendo cura divina, prosperidade financeira, solução de problemas conjugais, em troca de ofertas. Não suporto assistir a três minutos de programa de rádio ou de televisão. Sinto náusea com a postura arrogante de falsos profetas que oscilam entre camelôs religiosos e doces professores de Bíblia.
Não dá para lidar com a falta de responsabilidade humana dos fundamentalistas que celebram desastres naturais como sinais inequívocos do pecado ou do fim do mundo. Não tenho mais estômago para ouvir professores de teologia, forjados em seminários de segunda linha, criticando livros que nunca leram ou teólogos que não conseguem citar duas obras. Tenho medo quando discursam na defesa da “reta doutrina”.
Não dá para lidar com a inveja de sacerdotes que voam como abutres à espera de que alguém tropece. O mundo evangélico está repleto de líderes que jamais conseguiriam sobreviver no mundo empresarial, mas vivem de condenar os outros. Preguiçosos e despreparados, adoram praticar tiro ao alvo. Incompetentes, carregam a marca de Caim. Os piores, mimetizam comportamentos moralistas, copiam afirmações heterodoxas e se especializam na defesa das tradições denominacionais.
Não dá para lidar com o ufanismo das falsas onipotências. Na corrida pelos primeiros lugares no Olimpo dos ungidos, sobram narcisistas. Não agüento as empreitadas mundiais, os projetos, as campanhas, que “vão mudar o mundo”. Esses falsos heróis instumentalizam o povo em nome de suas megalomanias. Usam e abusam da boa-fé de quem quer fazer alguma coisa pela humanidade. Só que os recursos doados com sacrifício acabam diluídos na máquina, sugados pela volúpia de poder e investidos em mais propaganda para alardear como são especiais.
Não dá para lidar com a repetição enfadonha de chavões. Cansam as frases prontas, os conceitos batidos e repetidos, que já não transmitem valor algum. A grande maioria dos púlpitos evangélicos é de uma mesmice estupidificante. Os hinos reciclam poesias gastas; os sermões começam e terminam com a promessa de bênção.
Já escrevi que andava cansado com o meio. Já pedi para não ser classificado como “evangélico”. Agora não sei mais o que dizer. Talvez precise continuar batendo na mesma tecla, não dá, não dá, não dá...


Soli Deo Gloria.


visite o site www.ricardogondim.com.br

sábado, 23 de agosto de 2008

VIVA A VIDA!

VIVA A VIDA!


Por Riva Moutinho


Você me conhece? Gostaria de falar algo para você. Talvez você tenha pouca idade e acredita que ainda viverá muitas coisas (você está certo). Talvez você tenha alguns anos acumulados e já tenha vivido muitas coisas. Talvez você goste de agito, talvez não. Talvez você seja pacato, talvez não. Mas gostaria de falar algo... e isso é muito importante. Existem coisas que são lógicas nesta vida, por exemplo: o fogo queima, a água molha, se você correr você se cansará... coisas deste tipo. Mas existem outras que de tão simples não são notadas e outras que de tão importantes são colocadas sob exagerados holofotes.Não acredite em tudo que falam quando você é criança. A maioria das palavras são usadas apenas para fazer você sorrir. Aproveite os abraços e os carinhos de seus pais, quando você crescer a correria deste mundo vai acabar por afastá-los um pouco. Cuide bem dos seus irmãos, eles são as pessoas que você poderá sempre contar.Relaxe.Estique-se mesmo que seja por trinta segundos. Seu corpo é seu melhor dom. Aprenda a usá-lo. Não se ache gordo demais e nem magro demais. Não exagere nas cirurgias. Os principais valores estão guardados no coração. Vista uma roupa clássica, se assim se sentir bem. Vista qualquer roupa, se este for o seu momento.Sorria.Caras emburradas não melhoram o dia, não trazem amores perdidos. Você trabalha muitos músculos quando sorri, acredite. Tente sorrir mesmo quando quiser chorar. Mude os hábitos.
Viva cada momento presente intensamente. Eles são únicos. Deixe o amanhã para amanhã. Não deixe suas ansiedades controlarem você. Os dias não se repetem e você poderá não ter a mesma oportunidade duas vezes. Esteja preparado.Cante.Mesmo quando os problemas surgirem te sufocando. Mesmo que sua voz seja desafinada. Não importa. Apenas cante. Debaixo do chuveiro, dirigindo, caminhando. A música satisfaz a alma.Não se contente com o pouco que tem e nem seja ingrato com o que já conseguiu. Não se ache maior do que alguém. O maior de todos os homens nasceu e viveu simples mesmo tendo todo o poder em suas mãos. Seja honesto mesmo que não tenha ninguém por perto. As melhores conquistas da vida não são materiais. Entenda isso.Ame.Com a simplicidade da inocência. Não queira receber afagos sempre. Preocupe-se apenas em dar carinho. Cuide bem de quem você ama. Entenda os defeitos. Seja paciente durante as mudanças. Converse. Sempre é possível encontrar um ponto de consenso. Entenda que o outro é um ser humano como você, com sentimentos, defeitos e qualidades. Comente as qualidades, ajude nos defeitos. O tempo neste planeta é curto quando se ama alguém.Ore.Mesmo que seja por alguns minutos. Ainda que seja no carro ou no ônibus. Dialogue com Aquele que te criou. É necessário. Entenda que você não está sozinho, mesmo quando não tem ninguém ao seu redor. Elogie sua esposa quando ela voltar do salão. Ela te retribuirá com muitos beijos.Esteja presente nos maus momentos. Nos bons todos querem um pedaço.Aprenda com seus erros. Aprenda a dizer: “Eu errei”Não critique alguém por errar. Ensine-a.
Perdoe aquele que te magoou. Esforce-se.Você pode não mudar o mundo fazendo estas coisas, mas acredite, estará mostrando aos outros como começar. Não se importe com as pedras que são atiradas contra você. Poucas pessoas gostam de ver alguém no caminho certo.Persista. Nem todos entendem os sonhos. Guarde-os enquanto você se prepara para realizá-los. Tenho certeza que ele não é tão complexo quanto a vida e nem tão simples como arroz e feijão. Lute. Vá atrás.Bem... lembra do fogo? Tenha cuidado, ele realmente pode machucar.


BH 05/02/2004


Com carinho

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Você não precisa confiar!

Você não precisa confiar!

De fato você pode viver desconfiando e espreitando até a própria morte.

Afinal, existir sem fé é possível.

Sim! Você pode existir com medo, angustiado, ansioso, tomado por teorias da conspiração, pessimista até quando fala de otimismo, discutindo com Deus e com a vida, inseguro até com o equilíbrio, afogando-se no seco, sem ar na ventania, sem alegria no casamento, no nascimento e na velhice, sem sentido no trabalho, buscando gostos que não existem em um beijo, buscando abraços que não aconchegam, e, assim, continuar..., sem sentido e sem significado, como um dado estatístico, como um número, como um código de barra, como uma carteira de identidade, como um Diploma.

Sim! Você pode existir sem confiar em Deus e em ninguém, como um Judas Iscariotes em todos os seus vínculos, sempre pulando fora do barco, sempre pensando antes em você, no seu projeto, nos seus interesses, nas suas moedas de prata.

Sim! Você pode. E nem precisaria dizer isto a você. Afinal, você existe assim, e, por isto, você sabe que é possível existir sem paz, sem conforto, sem satisfação, sem esperança, sem a fonte da água da vida, sem a luz do mundo, sem o pão da vida, sem o gosto do sal da terra, sem a revolução do grão de mostarda crescendo em você.

Sim! É possível ir existindo sem fé, ou, no máximo, apenas com fé no possível que seja realizável pelo braço do homem em dias de força e saúde.

Sim! É possível. É..., mas não é.

É possível existir sem fé. Só não é possível viver sem fé. Pois, quem quer que encontre inspiração para ser contra tudo o que se chama existir, é somente aquele que se justifica andando pela fé.

Sim! Pois neste mundo o viver acontece quase sempre em rota de colisão contra o mero existir!


Pense nisso!


Caio 13 de agosto de 2008
Lago Norte
Brasília
DF
www.caiofabio.com
www.vemevetv.com.br

terça-feira, 12 de agosto de 2008

O que é o Caminho

O que é o Caminho?


O Caminho é mais que um lugar ou um clube de iluminados. Trata-se de um movimento de subversão do Reino de Deus na Terra. Por esta razão, "o Caminho" é feito de gente chamada a assumir seu papel de sal que se dissolve e some para poder salgar; de fermento que se imiscui na massa e desaparece a fim de subverter; de pequena semente que se torna grande e generosa árvore que a todos acolhe; de Casa do Pai para os filhos Pródigos e também para os Irmãos Mais Velhos que se alegrarem com a Graça do perdão; e um ambiente espiritual no qual até o "administrador infiel" possa se consertar, e, assim, tentar fazer o melhor do que restou.No Caminho todos são irmãos, e ninguém é juiz do outro. Assim, ajudam-se, mas não se esmagam uns aos outros, posto que no Caminho todos caem e levantam, todos se enfraquecem, mas não desanimam, todos são humanos, e, com humanidade são tratados, conforme o Dogma do Amor.

sábado, 9 de agosto de 2008

Encontro Comunitário

Queridos Caminhantes do Reino:


Graça e Paz da parte do Eterno e do Nosso Mestre Jesus.


Nosso encontro comunitário do dia 10/08 (Domingo), às 10 Horas, acontecerá na Escola Estadual Geraldo Teixeira da Costa (GETECO) ao lado do Epa na Parte Alta da Cidade de Santa Luzia - MG (no morro do Sabão), onde continuaremos estudando a Mensagem da Carta aos Gálatas (2ª Parte), em nosso processo de descontrução, "A Doce Revolução do Evangelho".
Contamos com a presença de todos os Caminhantes, convidados e interessados que queiram trilhar nessa nossa caminhada pelo único e novo caminho que Cristo em nós, a esperança da glória.

Esperamos vocês!


Que a Graça do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo sejam com vocês e suas Casas.


Márcio Alebral

"O Caminho da Graça não é um lugar, são as pessoas."

O que vale e o que não vale?!

O que vale e o que não vale?!

A PERGUNTA:O que importa? Sim! O que é de fato importante para Deus e a criação?Pergunto isto porque desde há muito tempo na vida que minha crise crônica é de natureza vinculada ao que seja essencial e importante na existência; e isto segundo Deus e Sua revelação em Jesus, a Palavra.Como disse, trata-se de algo crônico em mim, e que espero continue assim até que tudo seja pleno no Senhor.Digo isto porque creio que num mundo caído e enganado pelas armadilhas contra o que seja verdade em sua essência, nada pode ser mais saudável do que manter-se em permanente estado de suspeição em relação ao que seja de fato importante do ponto de vista da revelação que Deus faz de Sua vontade.O essencial é apenas e tão somente a vontade de Deus!Jesus disse que a essencialidade da vivência da vontade de Deus era equivalente ao comer o que é essencial à vida."A minha comida consiste em fazer a vontade de meu Pai que está nos céus", afirmou Ele.Comer a Palavra de Deus como entendimento aplicado à vida pela fé, segundo Jesus, é algo muito mais essencial do que ter pão e água."Não só de pão vive o homem, mas de toda a Palavra que sai da boca de Deus".Ora, a vontade de Deus é o alimento do espírito, de tal modo que ninguém vive no espírito se não alimentar-se da obediência em fé à Palavra revelada de Deus em Jesus.Assim, algumas coisas precisam ser feitas e decididas por nós.A primeira é decidirmos acessar as informações acerca da revelação de Deus, e que se encontram nas Escrituras da Nova e Antiga Alianças. Ou seja: é preciso ler as Escrituras com um olhar simples e cheio de fé.A segunda é sabermos que todas as Escrituras se tornaram essência em Jesus, e que fora das palavras, modos e atitudes de Jesus não se tem mais Palavra alguma, mesmo da Antiga Aliança, a nos ser acrescentada. Como digo: Jesus é a Chave Hermenêutica.A terceira é crermos no que Jesus disse acerca do significado da inteira revelação, que era apenas e tão somente amar a Deus acima de tudo, e amarmos ao próximo como a nós mesmos.A quarta é praticarmos a Graça de Deus como alegria pelo Favor que nos alcançou como entendimento espiritual, através da revelação que nos foi e é trazida pelo Espírito Santo; iluminando as Escrituras para nós, e as tornando Palavra viva de Deus para a nossa existência; a qual só se faz verificável como Palavra viva em nós, se formos capazes de amar ao próximo como extensão natural de nossa gratidão pelo perdão e pela graça recebidos gratuitamente pela fé em Jesus e no amor de Deus.O mais, sinceramente, é discussão inútil e que leva à corrupção da mente.Aceito discutir qualquer outra coisa ou tema, mas "Deus" como tema não aceito discutir.Afinal, o que é de fato importante acerca de Deus e Sua criação é apenas o que Jesus disse que era; ou seja: amor a Deus e amor ao próximo; e tudo isto de modo simples e prático, sem nenhuma converseira ou dissertação.

Caio

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

O MAIOR PROBLEMA É O NADA DA VIDA!

Ninguém sabe nada de nada. Quem diz que sabe é pretensioso e tolo. Afinal, quem controla o quê?

Literalmente, conforme disse Jesus, não posso acrescentar sequer um metro a mais ao curso de meu caminhar na Terra.

Num minuto está tudo bem. No outro um tufão de tristeza e emoções podem simplesmente dar contra a nossa existência.

Entretanto, quando existem razões objetivas para a dor, ainda está tudo bem. O duro é quando você olha e se pergunta: Mas o que houve de fato aqui que possa explicar o volume de dor e problemas que gerou?

Sim! Pois, o maior problema é o que não existe!

Ora, o problema existente tem solução objetiva e simples, até mesmo quando não tem solução... Em tal caso, é deixar, pois, a não solução já é a solução.

Porém o problema inexistente somente existe em um lugar no qual não há critérios de mensurabilidade: o interior e a subjetividade.

A questão é que a maior parte dos problemas nasce do que não é ou não existe de modo real e objetivo!

Sim! São problemas de comunicação ou excessos de interpretação!

Sim! São problemas relacionados ao que se disse ter perdoado sem que se tenha jamais perdoado!

Sim! São desejos e antipatias inconscientes e que se transformam em guerra sem sentido!

Sim! São disputas inconscientes por razão e razão!

Sim! São projeções e transferências que são feitas e que pintam o outro de diabo!

Sim! Problemas inexistentes são o diabo nas entrelinhas!

Quando você estiver apoquentado, antes de tudo se pergunte: Qual o nível de existência desse problema?

Ora, na realidade a maioria dos problemas não resiste sequer à resposta objetiva que se possa dar a tal questão!

Assim, não se enrole nos novelos que não existem, pois, de fato, tais linhas invisíveis são as que mais nos prendem ao nada que se apresenta a nós com o poder do tudo, embora nada seja.

Pense nisto!


Caio

Seis de agosto de 2008
Lago Norte
Brasília
DF
www.caiofabio.com
www.vvtv.com.br

terça-feira, 5 de agosto de 2008

UM CONVITE À DOCE REVOLUÇÃO - O Reino é simples!

UM CONVITE À DOCE REVOLUÇÃO – O Reino é simples!

Artigo 1 – Fica decretado que agora não há mais nenhuma condenação para quem está em Jesus, pois, o Espírito da Vida em Cristo, livra o homem de toda culpa para sempre.
Artigo 2 – Fica decretado que todos os dias da semana, inclusive os Sábados e Domingos, carregam consigo o amanhecer do Dia Chamado Hoje, por isso qualquer homem terá sempre mais valor que as obrigações de qualquer religião.
Artigo 3 – Fica decretado que a partir deste momento haverá videiras, e que seus vinhos podem ser bebidos; olivais, e que com seus azeites todos podem ser ungidos; mangueiras e mangas de todos os tipos, e que com elas todo homem pode se lambuzar.Parágrafo do Momento: Todas as flores serão de esperança; pois que todas as cores, inclusive o preto, serão cores de esperança ante o olhar de quem souber apreciar. Nenhuma cor simbolizará mais o bem ou o mal, mas apenas seu próprio tom, pois, o que daí passar estará sempre no olhar de quem vê.
Artigo 4 – Fica decretado que o homem não julgará mais o homem, e que cada um respeitará seu próximo como o Rio Negro respeita suas diferenças com o Solimões, visto que com ele se encontra para correrem juntos o mesmo curso até o encontro com o Mar.Parágrafo que nada pára: O homem dará liberdade ao homem assim como a águia dá liberdade para seu filhote voar.
Artigo 5 – Fica decretado que os homens estão livres e que nunca mais nenhum homem será diferente de outro homem por causa de qualquer Causa. Todas as mordaças serão transformadas em ataduras para que sejam curadas as feridas provocadas pela tirania do silencio. A alegria do homem será o prazer de ser quem é para Aquele que o fez, e para todo aquele que encontre em seu caminhar.
Artigo 6 – Fica ordenado, por mais tempo que o tempo possa medir, que todos os povos da Terra serão um só povo, e que todos trarão as oferendas da Gratidão para a Praça da Nova Jerusalém.
Artigo 7 – Pelas virtudes da Cruz fica estabelecido que mesmo o mais injusto dos homens que se arrependa de seus maus caminhos, terá acesso à Arvore da Vida, por suas folhas será curado, e dela se alimentará por toda a eternidade.
Artigo 8 – Está decretado que pela força da Ressurreição nunca mais nenhum homem apresentará a Deus a culpa de outro homem, rogando com ódio as bênçãos da maldição. Pois todo escrito de dívidas que havia contra o homem foi rasgado, e assustados para sempre ficaram os acusadores da maldade.Parágrafo único: Cada um aprenderá a cuidar em paz de seu próprio coração.
Artigo 9 – Fica permanentemente esclarecido, com a Luz do Sol da Justiça, que somente Deus sabe o que se passa na alma de um homem. Portanto, cada consciência saiba de si mesma diante de Deus, pois para sempre todas as coisas são lícitas, e a sabedoria será sempre saber o que convém.
Artigo 10 – Fica avisado ao mundo que os únicos trajes que vestem bem o homem diante de Deus não são feitos com pano, mas com Sangue; e que os que se vestem com as Roupas do Sangue estão cobertos mesmo quando andam nus.Parágrafo certo: A única nudez que será castigada será a da presunção daquele que se pensa por si mesmo vestido.
Artigo 11 – Fica para sempre discernido como verdade que nada é belo sem amor, e que o olhar de quem não ama jamais enxergará qualquer beleza em nenhum lugar, nem mesmo no Paraíso ou no fundo do Mar.
Artigo 12 – Está permanentemente decretado o convívio entre todos os seres, por isso, nada é feio, nem mesmo fazer amizades com gorilas ou chamar de minha amiga a sucuri dos igapós. Até a “comigo ninguém pode” está liberta para ser somente a bela planta que é.Parágrafo da vida: Uma única coisa está para sempre proibida: tentar ser quem não se é.
Artigo 13 – Fica ordenado que nunca mais se oferecerá nenhuma Graça em troca de nada, e que o dinheiro perderá qualquer importância nos cultos do homem. Os gasofilácios se transformarão em baús de boas recordações; e todo dinheiro em circulação será passado com tanta leveza e bondade que a mão esquerda não ficará sabendo o que a direita fez com ele.
Artigo 14 – Fica estabelecido que todo aquele que mentir em nome de Deus vomitará suas próprias mentiras, e delas se alimentará como o camelo, até que decida apenas glorificar a Deus com a verdade do coração.
Artigo 15 – Nunca mais ninguém usará a frase “Deus pensa”, pois, de uma vez e para sempre, está estabelecido que o homem não sabe o que Deus pensa.
Artigo 16 – Estabelecido está que a Palavra de Deus não pode ser nem comprada e nem vendida, pois cada um aprenderá que a Palavra é livre como o Vento e poderosa como o Mar.
Artigo 17 – Permite-se para sempre que onde quer que dois ou três invoquem o Nome em harmonia, nesse lugar nasça uma Catedral, mesmo que esteja coberta pelas folhas de um bananal.
Artigo 18 – Fica proibido o uso do Nome de Jesus por qualquer homem que o faça para exercer poder sobre seu próximo; e que melhor que a insinceridade é o silencio. Daqui para frente nenhum homem dirá “o Senhor me falou para dizer isto a ti”, pois, Deus mesmo falará à consciência de cada um. Todos os homens e mulheres que crêem serão iguais, e ninguém jamais demandará do próximo submissão, mas apenas reconhecerá o seu direito de livremente ser e amar.
Artigo 19 – Fica permitido o delírio dos profetas e todas as utopias estão agora instituídas como a mais pura realidade.
Artigo 20 – Amém!Caio e tantos quantos creiam que uma revolução não precisa ser sem poesia.

-----------------------------------
Amados, “nossa tentativa é de experimentar, provar e viver o eterno Vinho Novo em Odres Novos! Isso porque existem muitos Odres Antigos, que são só odres, são só ‘containers’, eles não fazem parte do conteúdo do Evangelho.O Evangelho é o Vinho, o resto é apenas, generacional, tem a ver com o tempo, com a hora, com a ocasião. Só que nós, cristãos, acabamos institucionalizando o Odre, e o Odre ganhou uma importância tão grande, que a gente briga, mata e morre pelo Odre, mas não tem ninguém interessado com a qualidade do Vinho! E se é assim, nós não estamos aqui para repetir os modelos de Odres que existem, mas estamos pedindo a Deus que não nos falte o conteúdo do Vinho Novo do Evangelho para pacificar o coração de cada um, em nome de Jesus.”Agora é com todo aquele que crê!Não adianta brigar contra a Potestade da Religião. Ela se alimenta da briga contra ela. Sim! O ódio a alimenta e a rejeição a fortalece em seus ódios. Assim, é deixá-la! Pois, a única coisa que pode ajudá-la é justamente o ser deixada só.Quem ama o Senhor, que ame os irmãos; e que não fique reclamando da “igreja”, nem perdendo tempo com ela e sua brigas sem fim, mas, dedique-se a pastorear as ovelhas e cordeiros de Jesus, conforme Ele disse a Pedro que fizesse.Sim! Quem ama o Senhor e Sua Palavra, reúna os parentes e amigos e comece a adorar a Deus com eles, estudando e crendo na Palavra, orando uns pelos outros, não se intrometendo nas vidas uns dos outros, mas também não permitindo abusos de uns para com os outros, posto que o Caminho é de Graça, Amor e Perdão; e não a espinhenta vereda da disputa, da supremacia e do abuso; posto que a Graça jamais será a Graxa dos descomprometidos.Se alguém ouvir e crer; e levantar-se para a Vida em nome de Jesus, esse é membro da Doce Revolução.Ora, só não vê quem não quer. Pois a Figueira está dando todos os sinais de que o Verão está às portas.Nele, que nos chama a nada que não transforme segundo o Evangelho.Para você, que deseja conhecer mais sobre o “Caminho da Graça”, basta clicar aqui.

Em amor.

sábado, 2 de agosto de 2008

Amados e Queridos Caminhantes do Reino

Graça e Paz a todos da parte do Eterno e do Nosso Mestre Jesus!

No próximo domingo, dia 03 de Agosto, nosso encontro será realizado no GETECO (Escola Estadual Geraldo Teixeira da Costa) ao la do EPA da Parte Alta de Santa Luzia, no "Morro do Sabão", às 10 Horas, com entrada pelos da portões da frente e dos fundos da Escola. Nesse encontro, estaremos estudando a mensagem da Carta aos Gálatas.

Contamos com a participação de todos os Caminhantes da Estação Santa Luzia.

Querendo Deus, nos encontraremos lá.

Que a Graça de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo seja com você.

Márcio Alebral

Crer é também pensar!

Cansei! Entendo que o mundo evangélico não admite que um pastor confesse o seu cansaço. Conheço as várias passagens da Bíblia que prometem restaurar os trôpegos. Compreendo que o profeta Isaías ensina que Deus restaura as forças do que não tem nenhum vigor. Também estou informado de que Jesus dá alívio para os cansados. Por isso, já me preparo para as censuras dos que se escandalizarem com a minha confissão e me considerarem um derrotista. Contudo, não consigo dissimular: eu me acho exausto.Não, não me afadiguei com Deus ou com minha vocação. Continuo entusiasmado pelo que faço; amo o meu Deus, bem como minha família e amigos. Permaneço esperançoso. Minha fadiga nasce de outras fontes.Canso com o discurso repetitivo e absurdo dos que mercadejam a Palavra de Deus. Já não agüento mais que se usem versículos tirados do Antigo Testamento e que se aplicavam a Israel para vender ilusões aos que lotam as igrejas em busca de alívio. Essa possibilidade mágica de reverter uma realidade cruel me deixa arrasado porque sei que é uma propaganda enganosa. Cansei com os programas de rádio em que os pastores não anunciam mais os conteúdos do evangelho; gastam o tempo alardeando as virtudes de suas próprias instituições. Causa tédio tomar conhecimento das infinitas campanhas e correntes de oração; todas visando exclusivamente encher os seus templos. Considero os amuletos evangélicos horríveis. Cansei de ter de explicar que há uma diferença brutal entre a fé bíblica e as crendices supersticiosas.Canso com a leitura simplista que algumas correntes evangélicas fazem da realidade. Sinto-me triste quando percebo que a injustiça social é vista como uma conspiração satânica, e não como fruto de uma construção social perversa. Não consideram os séculos de preconceitos nem que existe uma economia perversa privilegiando as elites há séculos. Não agüento mais cultos de amarrar demônios ou de desfazer as maldições que pairam sobre o Brasil e o mundo.Canso com a repetição enfadonha das teologias sem criatividade nem riqueza poética. Sinto pena dos teólogos que se contentam em reproduzir o que outros escreveram há séculos. Presos às molduras de suas escolas teológicas, não conseguem admitir que haja outros ângulos de leitura das Escrituras. Convivem com uma teologia pronta. Não enxergam sua pobreza porque acreditam que basta aprofundarem um conhecimento "científico" da Bíblia e desvendarão os mistérios de Deus. A aridez fundamentalista exaure as minhas forças. Canso com os estereótipos pentecostais. Como é doloroso observá-los: sem uma visitação nova do Espírito Santo, buscam criar ambientes espirituais com gritos e manifestações emocionais. Não há nada mais desolador que um culto pentecostal com uma coreografia preservada, mas sem vitalidade espiritual. Cansei, inclusive, de ouvir piadas contadas pelos próprios pentecostais sobre os dons espirituais. Cansei de ouvir relatos sobre evangelistas estrangeiros que vêm ao Brasil para soprar sobre as multidões. Fico abatido com eles porque sei que provocam que as pessoas "caiam sob o poder de Deus" para tirar fotografias ou gravar os acontecimentos e depois levantar fortunas em seus países de origem.Canso com as perguntas que me fazem sobre a conduta cristã e o legalismo. Recebo todos os dias várias mensagens eletrônicas de gente me perguntando se pode beber vinho, usar "piercing", fazer tatuagem, se tratar com acupuntura etc., etc. A lista é enorme e parece inexaurível. Canso com essa mentalidade pequena, que não sai das questiúnculas, que não concebe um exercício religioso mais nobre; que não pensa em grandes temas. Canso com gente que precisa de cabrestos, que não sabe ser livre e não consegue caminhar com princípios. Acho intolerável conviver com aqueles que se acomodam com uma existência sob o domínio da lei e não do amor.Canso com os livros evangélicos traduzidos para o português. Não tanto pelas traduções mal feitas, tampouco pelos exemplos tirados do golfe ou do basebol, que nada têm a ver com a nossa realidade. Canso com os pacotes prontos e com o pragmatismo. Já não agüento mais livros com dez leis ou vinte e um passos para qualquer coisa. Não consigo entender como uma igreja tão vibrante como a brasileira precisa copiar os exemplos lá do norte, onde a abundância é tanta que os profetas denunciam o pecado da complacência entre os crentes. Cansei de ter de opinar se concordo ou não com um novo modelo de crescimento de igreja copiado e que vem sendo adotado no Brasil.Canso com a falta de beleza artística dos evangélicos. Há pouco compareci a um show de música evangélica só para sair arrasado. A musicalidade era medíocre, a poesia sofrível e, pior, percebia-se o interesse comercial por trás do evento. Quão diferente do dia em que me sentei na Sala São Paulo para ouvir a música que Johann Sebastian Bach (1685-1750) compôs sobre os últimos capítulos do Evangelho de São João. Sob a batuta do maestro, subimos o Gólgota. A sala se encheu de um encanto mágico já nos primeiros acordes; fechei os olhos e me senti em um templo. O maestro era um sacerdote e nós, a platéia, uma assembléia de adoradores. Não consegui conter minhas lágrimas nos movimentos dos violinos, dos oboés e das trompas. Aquela beleza não era deste mundo. Envoltos em mistério, transcendíamos a mecânica da vida e nos transportávamos para onde Deus habita. Minhas lágrimas naquele momento também vinham com pesar pelo distanciamento estético da atual cultura evangélica, contente com tão pouca beleza.Canso de explicar que nem todos os pastores são gananciosos e que as igrejas não existem para enriquecer sua liderança. Cansei de ter de dar satisfações todas as vezes que faço qualquer negócio em nome da igreja. Tenho de provar que nossa igreja não tem título protestado em cartório, que não é rica, e que vivemos com um orçamento apertado. Não há nada mais desgastante do que ser obrigado a explanar para parentes ou amigos não evangélicos que aquele último escândalo do jornal não representa a grande maioria dos pastores que vivem dignamente.Canso com as vaidades religiosas. É fatigante observar os líderes que adoram cargos, posições e títulos. Desdenho os conchavos políticos que possibilitam eleições para os altos escalões denominacionais. Cansei com as vaidades acadêmicas e com os mestrados e doutorados que apenas enriquecem os currículos e geram uma soberba tola. Não suporto ouvir que mais um se auto-intitulou apóstolo. Sei que estou cansado, entretanto, não permitirei que o meu cansaço me torne um cínico. Decidi lutar para não atrofiar o meu coração.Por isso, opto por não participar de uma máquina religiosa que fabrica ícones. Não brigarei pelos primeiros lugares nas festas solenes patrocinadas por gente importante. Jamais oferecerei meu nome para compor a lista dos preletores de qualquer conferência. Abro mão de querer adornar meu nome com títulos de qualquer espécie. Não desejo ganhar aplausos de auditórios famosos. Buscarei o convívio dos pequenos grupos, priorizarei fazer minhas refeições com os amigos mais queridos. Meu refúgio será ao lado de pessoas simples, pois quero aprender a valorizar os momentos despretensiosos da vida. Lerei mais poesia para entender a alma humana, mais romances para continuar sonhando e muita boa música para tornar a vida mais bonita. Desejo meditar outras vezes diante do pôr-do-sol para, em silêncio, agradecer a Deus por sua fidelidade. Quero voltar a orar no secreto do meu quarto e a ler as Escrituras como uma carta de amor de meu Pai. Pode ser que outros estejam tão cansados quanto eu. Se é o seu caso, convido-o então a mudar a sua agenda; romper com as estruturas religiosas que sugam suas energias; voltar ao primeiro amor. Jesus afirmou que não adianta ganhar o mundo inteiro e perder a alma. Ainda há tempo de salvar a nossa.

Soli Deo Gloria.

Ricardo Gondim

Pr. Ricardo Gondim é escritor de vários livros, entre eles Artesãos de Uma Nova História
www.ricardogondim.com.br

Sabendo sem nada saber - João Nove

O texto de João capitulo nove — ao introduzir através do “cego de nascença” o tema da Graça como poder de cura [da cegueira], de revelação [de quem Jesus era, de quem o cego era, de quem os pais do cego eram, e de quem os religiosos eram], de misericórdia [manifesta pela decisão unilateral de Jesus de curar o homem], de juízo [sobre os religiosos incrédulos], e, sobretudo, de desvendamento do poder da Graça na desestabilização dos poderes constituídos [o fato moveu as entranhas do Templo] — nos faz ver como a pressuposição de que se “vê” algo, como diziam os religiosos do texto, “nós vemos”, é justamente aquilo que mais nos cega.

“Se fosseis cegos, pecado não teríeis; mas porque dizeis ‘nós vemos’, subsiste o vosso pecado”.

Assim, a equação espiritual do Evangelho acerca de “ver”, é simples:

Não veja por você mesmo. Veja através do Evangelho. Pois o ver mediante o Evangelho sempre parte do fato de que aquele que vê, antes de tudo viu que nada via. E viu sendo cego, pois, agora vê não porque tenha visto Quem o curaria, mas porque por Esse fora antes visto.

No entanto, aquele que diz: “eu vejo”, esse está cego!


Ora, mesmo nos meus melhores dias de percepção [Sim! Pois a percepção sofre variações] ainda vejo que nada vejo, ou, na melhor das hipóteses, vejo apenas muito e tão somente em parte e em parte...

Afinal, quem sou eu?

Sou o que não é em todos os sentidos!

Não tenho poder nenhum sobre e contra quase tudo, ou tudo.

Sim! Pois até na minha melhor segurança, somente seguro me sinto pela multidão de minhas ignorâncias, assim como alguém que dorme sobre um ninho de cobras hibernantes, e pela ignorância acerca da presença delas, descansa em paz.

Dou graças a Deus pela minha ignorância, pela minha chance de não saber, pelo descanso que advém de apenas confiar e viver em paz!


Dou graças ao Pai por apenas viver pela fé. Afinal, por mais hiper-confiante em Deus que eu seja [de fato: fosse], não sou Jesus; e não suportaria viver sabendo para além do que posso como homenzinho e vermezinho de Jacó.

Assim, cada dia mais amo todas as minhas limitações!

Estou tirando prazer da fraqueza e aprendendo dia a dia a benção de não poder e de não entender quase nada, e, ainda assim, andar satisfeito e muito em paz!

O paradoxo do Evangelho neste aspecto da vida, é que quanto mais você se satisfaz apenas em andar pela fé[e não que pelo que se pensa ver], mais surge em você a compreensão que excede o entender e o entender que prescinde do compreender.

E, assim, “sem vírgulas”:

Você começa a não saber enquanto já sabe sem saber como tudo aquilo que você não compreende possa estar em você entendido como algo que você não compreende para poder explicar.

Entendeu?

Rsrsrs. Mas é assim mesmo!

Creia e fique sabendo!


Nele,


Caio

1 de agosto de 2008
Lago Norte
Brasília
DF

quarta-feira, 30 de julho de 2008

A Cruz vem antes de qualquer antes!

A Cruz vem antes de qualquer antes!


A Cruz vem antes de todas as Coisas, e, portanto, também antes de todas as Quedas. Só houve a possibilidade de haver Liberdade — incluindo os terríveis riscos de haver Quedas — porque, antecipadamente, já havia o Cordeiro e Seu Sangue conhecido com efeito antes da fundação do mundo — sim! Antes de todo e qualquer mundo."Haja Cruz"— foi o grito que nenhuma criatura ouviu ser bradado, pois, Quem o bradou estava só!Esse clamor do Deus agonizante antes de parir Seus mundos — todos eles —, nenhuma criatura ouviu. Nem mesmo os anjos — osfilhos de Deusque alegremente viram e cantaram a sabedoria de Deus na Criação — ainda não existiam para testemunhar esse Brado. Afinal, eles vieram depois dele. Daí a Cruz ter sido e ser para eles um mistério, aliás, o Mistério!Era um entendimento de Deus com Deus. E ninguém existia para ser Seu conselheiro. Daí ter sido também o Grande Mistério que nem Lúcifer conhecia."Deus meu, Deus meu, por que me desamparas-te?"—fez-se ouvir antes que qualquer criatura ou criação experimentasse consciência de queda e desamparo!Pensar diferente é crer numa Cruz que veio depois — ou seja, sendo apenas uma tentativa divina de remendar Seus próprios erros como Criador e Sua culpa ante a Criação.Quando se diz que o Cordeiro de Deus foi imolado antes da criação do mundo, diz-se também que a provisão da Graça é a única Liberdade possível na Terra, pois, essa certeza do Amor Gracioso, que se entregou pelos equívocos e pecados da Criação antes dela existir, carrega consigo uma profunda libertação da culpa de ser e de todas as fobias existenciais que ela patrocina.Estou convencido de que somente vivendo com essa consciência em fé é que se pode experimentar a libertação de todo medo de ser, viver, existir e, também, pode-se assumir a própria consciência como o Santo dos Santos de cada indivíduo na Terra.Aqui começa a liberdade. Nenhuma liberdade que não nasça da consciência em fé de que este universo tanto é fruto do Amor de Deus quanto também de Sua entrega Sacrificial pela Criação pode ser chamada de liberdade. Isto porque antes de qualquer Criação existir a Cruz foi Erguida!Ora, é isto que pode nos fazer viver como pecadores livres do pecado-culpa de ser, que é a mais latente de todas as culpas que o ser humano conhece.O Perfeito Amor lança fora o medo!Só se perde o medo de ser quando se perde o medo de Deus!E isto só acontece em plenitude mediante a Liberdade que nasce da Graça Pré-existente de Deus, na entrega do Cordeiro Eterno, que é Cristo Jesus, o Nosso Senhor!No dia em que essa consciência em fé nos possui, acontece o funeral religioso da Teologia Moral de Causa e Efeito!"O Cordeiro Imolado Antes da Fundação do Mundo"— é, para mim, a afirmação apostólica cujas implicações incidem sobre todos os aspectos de qualquer que seja a compreensão cristã da Existência!Depois dela fica mais fácil entender como e porque Nele tudo subsiste, sem que isto implique em indiferença divina para com Sua Criação ou em solidariedade divina para com o mal que passou a habitar a Criação.Do contrário, por que seria Ele a Fonte Criadora e Mantenedora de Todas as Existências, sendo Ele, ao mesmo tempo, o Criador Eternamente Separado de considerável parte de Sua própria Criação? E isto enquanto a alimenta com energia de existir que nem sempre é usada na direção da Vida?!Num universo onde existe o mal, a inclusão dele como dependente da energia vital que procede de Deus só faz sentido se o Cordeiro tiver sido imolado antes que as partes que se desintegraram de sua comunhão com o Criador houvessem sido criadas.Isto porque é preciso diferenciar o Criador de toda e qualquer escolha que, na Criação, tenha implicado em Queda. Digo isto ao mesmo tempo em que sei que não é possível fazer tal diferenciação completamente. E por que? É que fora de Deus não existe nada absoluto. Ora, algo é Absoluto quando é Auto-Existente. Todavia, há um só Deus e Pai de todos, que age por meio de todos e está em todos!Portanto, qualquer criatura existe em Deus, mesmo que sua livre escolha seja existir sem a Vida de Deus agora ou para sempre.Isto também é liberdade! E é sua mais terrível manifestação! A escolha pelo inferno de ser!O Cordeiro imolado antes da fundação do mundo é também a garantia de que qualquer criatura pode escolher existir eternamente danada, no inferno de suas resistentes escolhas enganadas. Afinal, até para que se tenha a liberdade de escolher não-ser-de-Deus tem-se que usar das graças naturais que Dele provêm a fim de nos manter existindo!Daí haver a Hora chamada de o Grande Dia da Ira do Cordeiro. A Graça oferecida desde antes da fundação do mundo, em sendo pisada pelos pés conscientes da indiferença, gera, ao final da presente era da consciência caída, o Dia do Juízo, onde Aquele que deu — e deu tudo — pela Criação, haverá de se levantar em seu favor e contra os seus espoliadores conscientes e insensíveis.O Grande Dia da Ira do Cordeiro é, paradoxalmente, o Dia da Graça para a Criação. É o juízo sobre os que devoram a Terra, seus recursos, suas criaturas, seus oceanos, fontes de águas, suas maravilhas, e suas produções naturais. É também o Dia da Vingança sobre as Civilizações que existem para fazer com que sua cidadania na Terra produza cataclismos gerados pela bomba da cobiça, pelo des-amor aos recursos do Planeta e por causa de sua tirania sobre as demais criaturas — humanas ou não!Isto porque, como a Cruz vem antes da Criação e como as criaturas gemem esperando o Dia da Redenção, então, pode-se dizer que toda a criação sente dores e agonias latentes pela Graça que pode redimir a toda criatura.

Caio

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Reflita!!

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Eu sou a Ressurreição! Onde está ó morte a tua vitória?

Antes de Jesus ressuscitar a Seu amigo Lázaro, disse à multidão reunida em Betania as seguintes palavras:"Eu sou a Ressurreição e a Vida. Aquele que crê em mim, ainda que venha a morrer no corpo, todavia, viverá; e todo aquele que vivendo crer em mim, jamais conhecerá a morte eterna."Ora, o que Ele diz aqui é o mesmo que Ele já havia dito com outras expressões entes. Por exemplo: "Quem ouve a minha palavra e crê Naquele que me enviou, não entra em juízo; já passou da morte para a vida."De fato, simplificando, o que Jesus está dizendo é que quem crê Nele passa do estado da fobia da morte para a alegria da Vida e da Ressurreição. E isto já! Ou seja: Agora, nesta existência. E mais: Ele garante que quando da morte física, eu jamais conhecerei a própria morte, posto que já tenho passado da morte espiritual para a vida eterna no espírito, pela fé no Deus que ressuscita os mortos.Assim o discípulo está encurralado na Vida!Jesus é a Ressurreição e a Vida. Portanto, a morte acabou!Porém o corpo morre...Além disso, há também os que existem mortos enquanto ainda no corpo. Mas assim é com eles até que conheçam a Ressurreição e a Vida.No entanto, para aquele que crê em Jesus, se vivo está no corpo, mesmo que seu corpo venha a falir [e sempre entra em falência], ainda assim tal pessoa não conhecerá a morte, posto que a morte acontece pela ausência de esperança eterna. Por isso Ele também diz que todo aquele que, vivendo, crê Nele, esse jamais conhecerá a morte como tal. Afinal, que experiência da morte me restou para experimentar se sigo a Ressurreição e a Vida?Por esta razão Paulo ensina a cantar o hino que diz: "Onde está ó morte a tua vitória? Onde está ó morte o teu aguilhão?"Desse modo se pode dizer que Lazaro, o amigo de Jesus, morreu pelo menos duas vezes: aquela vez da qual foi ressuscitado, e, uma segunda vez, quando morreu no corpo até o dia da ressurreição dos corpos. Porém, morreu sem conhecer a morte.Sim! Aquele que crê em Jesus ainda que morra, morrerá sem conhecer a morte.Todo aquele que de fato conhece o Evangelho é filho da Ressurreição, e, por tal razão, existe em vida para além da possibilidade do conhecimento da morte, pois a morte não é a cessação da existência física, mas sim a morte como separação de Deus; do Deus que é Ressurreição e Vida.Deus é Vida. Ora, fora de Sua comunhão não há vida; havendo no máximo apenas existências mortas e fadadas à extinção.Haverá uma hora, entretanto, em que o Deus que é Amor, haverá de lançar a Morte e o Inferno no Lago de Fogo. Ou seja: Deus extinguirá a ambos. O Lago de Fogo é extinção.Nós, porém, somos filhos da Ressurreição!Creia e Viva!Nele, que matou a morte na Ressurreição,

Caio

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Vencendo o sono da tristeza

TEMA: Vencendo o sono da tristeza.

TEXTO: Lucas 22.45

“Quando se levantou da oração e voltou aos discípulos, encontrou-os dormindo, dominados pela tristeza.” (NVI)

INTRODUÇÃO: Dormir por causa da tristeza e no mínimo uma expressão curiosa. Mateus relata o mesmo episódio e não usa tal expressão. Parece que marcos não se importou com este detalhe, ele também não usou a expressão textual. Ambos apenas cometam que os olhos estavam pesados. Quem adota a expressão “dormindo, dominados pela tristeza” é o autor do Evangelho de Lucas (a Tradição atribui a Lucas, que de acordo com o relato histórico, ele era um tipo de “médico”). Seu evangelho reivindica no prefácio “... eu mesmo investiguei tudo cuidadosamente...” (Lc 1.3 NVI), dos fatos relacionados à vida de Jesus e dos efeitos e reações dos seus acontecimentos.
É coerente supor que este episódio mereceu uma atenção cuidadosa do escritor. Inclusive, é Lucas quem fala de Jesus ter “suado gotas como de sangue.” Lucas vai mais fundo na questão. Os subsídios na investigação do fato recebem uma interpretação do estado da alma dos discípulos de Jesus.
Este episódio na vida dos discípulos nos coloca diante de duas realidades: Primeiro – a tristeza é humana e natural e pode sofrer adoecimentos dominadores quando fora de controle; segundo – a tristeza pode ser controlada, tratada e vencida com iniciativas construtivas e alternativas.
A expectativa de perder alguém do círculo de convivência íntima trouxe ao coração de cada discípulo um profundo estado de melancolia e tristeza. Tal sentimento esvaziou todo ânimo, sobrando apenas uma postura sem reação.
A lição que tiramos deste fato é que toda expectativa incubada e acompanhada da sensação de distanciamento de alguma realidade gostosa, de um convívio amoroso, ou do sentimento de perda, pode, diante de uma ameaça de desligamento, abater-nos profundamente. O sono da tristeza pode ser traduzido ou entendido como um estado de impotência e conformismo diante da situação. Talvez nós estejamos possuídos de uma tristeza que já está dominando nossas vidas, nos deixando sem reação. Talvez estejamos esteja servindo de uma linguagem interior que nos condiciona ao estado de excessiva tristeza.
A questão não é deixar de sentir tristeza. Somos humanos. A questão é não deixarmos ser dominados e controlados por ela a tal ponto de desligarmos das nossas vidas. Deixe-mos Jesus ir às origens das nossas tristezas. O Médico da nossas almas, Jesus Cristo, é quem trata da nossa tristeza como seus discípulos.

DIVISÃO:

TEXTO: Lucas 22.46

“Por que estão dormindo?, perguntou-lhes. Levantem-se e orem para que vocês não caiam em tentação!”

I Primeiro, vem o despertar: “Por que estão dormindo?... (Lc 22.46). Quem interrompe o sono da tristeza é Jesus. É preciso ser acordado pelo amor, pelo ânimo, pela coragem, pelo desafio, pela visão, pela motivação de um projeto de vida, pelo desprendimento no ato do dar de si. Quem vai nos acordar é o Senhor Jesus! Jesus é tudo isso e muito mais. Ele vai nos acordar para dizer que existe um projeto de salvação que traz liberdade, que gera alegria, que traz esperança, que, apesar de ser doloroso e sofrido, vai resultar num processo irreversível da manifestação plena da graça de Deus.

II Segundo, vem o levantar: “...Levantem-se...” (Lc 22.46). Existe dentro de nós um mínimo de força suficiente, concedida pela vontade de Deus, desproporcional a nossa fraqueza, pois está acima dela e além dela, que pode nós levantar. Levante que a hora de ser, de fazer acontecer, de ter é nesse instante. O tempo de Deus realizar sua vontade é sempre o tempo quando se conhece a sua vontade na vontade de fazê-la pelo Espírito. Na hora da tristeza ouça em sua interioridade a voz da Palavra de Deus provocando vontade. É preciso levantar ouvindo a voz de Deus, ouvindo a Palavra de Deus.

III Terceiro, vem o orar para não entrar em tentação: “Orem para que vocês não caiam em tentação.” (Lc 22.46). Quando estamos tristes cada um de nós tem vontade de ser ouvido, ser compreendido, de ser diagnosticado. O diálogo com Deus é a terapia mais eficaz que existe. Quem dialogo com Deus em oração, dialoga com a vida de maneira natural; coração destrancado linguagem destravada e mente desligada de influências mortais. Quem repete mecanicamente a oração sem o fluir da alma, atrofia seus próprios sentidos em relação à percepção da vida por sufocar o gemido do Espírito (Rm 8.26). Quem conversa com Deus intimamente compreende o próximo pois procura ser acolhido por Deus em seus conflitos. A oração vigilante é arma contra todo tipo de cilada proveniente da tentação oportunista durante as fase de tristeza. Tristeza pode virar mágoa profunda. Magoa pode trazer interpretações, impressões negativas de um fato. Este conjunto de sintomas complexas pode desencadear o afastamento de Deus e do semelhante. A partir daqui então, a pessoa fica vulnerável a todo tipo de tentação por ter perdido a resistência. Quem apaga a alma se entregou ao “silêncio dos inocentes” e quem perdeu-se dentro de si mesmo já vive a realidade dos “gritos do silêncio”. A alma no escuro é um quarto trancado de luz apagada, isolada da vida.

CONCLUSÃO: Quer vencer o sono da tristeza? Seja despertado pelo único Projeto de vida pelo qual vale a pena viver: Jesus. Seja levantado pela única Palavra de vida ouvindo a vontade de Deus dentro de você. Seja mantido acordado pela única Arma de Vida cultivando a oração vigilante para que não durma o sono da morte. Onde existir Projeto de Vida, Palavra de Vida, Arma de Vida na espiritualidade pessoal, a tristeza será apenas uma fase temporária suscetível e nunca um estado de desânimo irreversível. Acorde, Levante e Ore porque nunca é tarde para despertar!

Márcio Alebral

Julho de 08
Santa Luzia
MG

ACEITO A ACUSAÇÃO

ACEITO A ACUSAÇÃO!



Ainda há pouco alguém me escreveu dizendo que o jornal de uma das maiores denominações evangélica do Brasil está preparando uma matéria contra a minha pessoa, em razão de que um dos membros da família que dirige e controla politicamente aquele grupo há muitos anos, veio para “O Caminho da Graça”.

Desse modo, os familiares dele [dirigentes da Denominação] transferiram para mim a responsabilidade de que tal pessoa creu no Evangelho simples e conforme Jesus para a sua própria vida.

Recebo diante de Deus com alegria tal “transferência”; e, por todas as acusações, injurias e loucuras que disserem, antecipadamente dou glória a Deus! Sim! Pois desse mesmo modo também perseguiram os que andaram no Evangelho antes de nós!

Ora, o amado irmão em questão, depois de muito ler este site, decidiu me escrever e contar a sua história. Trocamos e-mails. Quase todos estão aqui neste site, sem identificação de ninguém ou de nenhuma “instituição” ou pessoa.

Creio que dois anos passaram desde a 1ª carta entre nós. Até que cerca de três meses atrás o jovem pastor em questão, depois de muita oração e incentivo meu de que não precipitasse nada, não lhe sendo mais possível adiar por motivo de consciência, comunicou à sua família o fato que, em amor, desejava deixar de ser ministro daquele grupo, pois, não conseguia mais mentir contra a verdade.

O senhor que me escreveu contando da matéria que, segundo ele próprio, “já havia lido”, parece ter farto histórico e intimidade junto à denominação que estaria preparando tal material. Escreveu-me estimulando-me a “responder uma a uma as acusações”. E mais: disse que sabia que assim seria porque “você não é homem de não responder as coisas”.

Ora, minha resposta antecipada é a mesma a todos: O Senhor é quem me justifica!

Quanto a me acusarem de levar um filho da nova geração de pastores daquela casa a crer no Evangelho simples de Jesus [embora saiba que minha participação seja apenas simbólica, pois quem o chamou foi o Senhor], aceito a denuncia em nome de Jesus; e peço ao Senhor que os perdoe por terem ficado cegos pelo engano da religião.

De mim têm apenas amor e orações!

Que o Senhor Jesus abra os olhos de muitos, e assim os livre do engano desses dias maus!


Nele, que disse: “Erguei as vossas cabeças, pois a vossa redenção se aproxima”,



Caio

Julho de 08
Lago Norte
Brasília
DF

A PEDOFILIA TEM UM PAI

A PEDOFILIA TEM UM PAI


O ladrão “... vem para matar, roubar e destruir”...


Todo pedófilo é um ladrão. Ladrão de vida, de escolha e de futuro. Ladrão de inocência. Ladrão de ideal. Ladrão e seguindo as pulsões do Grande Ladrão.

Portanto: A Pedofilia é do diabo!

Que mais posso eu dizer? Que termos a usar? Que adjetivos ou filosofias a recorrer? Não! De fato não possuo tal recurso no dizer! Sim! Pois, por todos os ângulos que olhe, sejam eles de natureza filosófica, psicológica, teológica e social, o que vejo é a mesma coisa: A Pedofilia é do diabo!

Sim! O que dizer de um adulto que seduz, engana e, por vezes, força ou ameaça uma criança a fim de se servir dela sexualmente?

Cresci vendo os efeitos da Pedofilia nos meninos de minha terra, no Amazonas. E nem sempre eram homens adultos abusando de menores, pois, efeitos catastróficos atingem as crianças do mesmo modo quando um menino maior, ou mesmo um adolescente, se serve sexualmente de um vizinho ou coleguinha bem mais novo.

Enquanto eu mesmo crescia acompanhei durante anos a evolução de meninos normais, embora fracos psicologicamente, que foram abusados, e acabaram por se acostumar ao abuso, vindo a tornarem-se homossexuais viciados em razão de tal interferência na infância.

Depois, no curso de anos e anos de pastoreio e disponibilidade para ouvir as pessoas, acompanhei e acompanho as angustias sinceras de milhares e milhares que sofrem por terem se viciados em algo que não foi sequer sua escolha original.

Instigar a sexualidade de uma criança e conduzir tal pessoa a desenvolver gosto ou dependência psicológica por aquela tendência, é obra do diabo.

Há lugares no mundo e houve épocas na História da Civilização, nos quais o incesto, a pedofilia e o abuso sexual são e foram “coisas naturais”, culturalmente falando. Nós, porém, não estamos buscando nivelar a consciência pela animalidade cultural carregada de traços de violência e perversão, ainda que muitas vezes acobertados pelo manto da educação e da cultura, como foi no caso dos gregos.

Jesus disse que quem fizer tropeçar a um dos Seus pequeninos, melhor é que amarre uma pedra de moinho ao pescoço e cometa suicídio.

Quem tiver ainda ouvidos para ouvir, então, para seu próprio bem, ouça!



Nele, que nos criou para a liberdade e para a escolha do que é bom,



Caio

23 de julho de 2008
Lago Norte
Brasília
DF

segunda-feira, 21 de julho de 2008

A ESSÊNCIA DO QUE HÁ

A ESSÊNCIA DO QUE HÁ
Por Riva Moutinho

UM COMENTÁRIO SOBRE OS COMENTÁRIOS DO TEXTO “O LEÃO, A PASTORA E O FUTEBOL”
Uma das coisas que nunca compreendi com relação à massa (de pessoas) foi o senso de observação independente. O que normalmente vemos nas massas é que apesar de serem diversas mentes, pensamentos, sentidos, ações e etc, a essência permanece sendo a mesma: manipulação.
Desta forma grandes estrategistas marqueteiros criam maneiras de atrair o maior número possível de pessoas através de ações que iludem, mas convencem a maior parte da população de qualquer setor. Se analisarmos a política veremos como as manobras patéticas são profundamente eficientes para conseguir popularidade, votos, convencimento e por conseqüência inércia da massa. Assim uma população inteira ou sua maioria assume uma consciência sobre a corrupção existente (por exemplo), mas assume por conseqüência que o que é, é assim mesmo e nada mudará. Desta forma passamos a viver, ou a conviver, ou a sobreviver num país cada vez mais decadente acreditando hipocritamente que este país é o “país do futuro.”
Tenho recebido um número considerável de email´s e comentários por causa do meu texto “O Leão, a Pastora e o Futebol”. A grande maioria defende a tal pastora, ignora o bom senso, a lucidez, a sensatez e lança para o espiritual e até mesmo para Deus o que suas mentes, já alienadas por alguma religião, os direciona.

Como podem pessoas que falam tanto de Deus ou de coisas espirituais não conhecerem a Bíblia (que é o livro central), pois o que arrotam são apenas frases feitas que as religiões criaram ao longo dos tempos. E não digo isto da boca pra fora, pois convivi (entre trancos e barrancos) por quase vinte anos na religião evangélica. A verdade do Evangelho não está lá e nem em nenhuma outra religião. A religião serviu apenas para dividir os homens em grupos com cada grupo tendo a certeza que alcançariam a salvação eterna mediante a aceitação e cumprimento de suas regras e conceitos. Tornaram os homens credos de que seus esforços próprios gerariam a recompensa eterna do Criador. Balela religiosa, pois no final das contas a religião sempre manipula as pessoas para escolherem Barrabás. Ainda que Cristo surgisse entre nós, nenhum religioso conseguiria percebê-lo. Foi assim antes e permanece sendo assim hoje.
Com a perda do bom senso e do raciocínio associado à falta de conhecimento naquilo a qual decidiram (ainda que hipoteticamente ou tecnicamente) seguir, um número assustador de pessoas segue o que suas religiões ordenam, sempre concluindo ao final que possuem a maneira de salvarem o pobre pecador.
É claro que todas estas artimanhas acabam sendo doadas ou vendidas com maquiagens de ótimos marqueteiros, que estudam o perfil psicológico, sociológico, teológico e etc das pessoas que pretendem agrupar. Assim as pessoas são levadas como folhas pelo vento da malignidade, pois a artimanha do diabo não é se mostrar diabo, mas ser Jesus. Logo crêem em Jesus, mas seguem os caminhos do mal. E sendo direcionados pelo mal não conseguem enxergar a realidade que se apresenta: o bom senso que clama ou a verdade que poderia os libertar. Foi assim com um dos ladrões na crucificação de Cristo.
E as coisas ditas como de Deus, torna-se naquilo que faz bem ao emocional o qual estabelece apenas um prazer momentâneo baseado em doses que precisam ser ingeridas de tempo em tempo a fim de manter o mesmo estado de felicidade ou paz “espiritual”. E haja corrente, moveres, encontros, conferências, pregações e tantas outras idéias que surgem com o tempo.
A verdade permanece ao alcance de todos, basta saber quem tem o desejo de adquirir tal conhecimento ainda que este conhecimento possa trazer a uma verdade a qual o cegue por algum tempo, assim como Paulo, mas que o faça enxergar não com os olhos naturais, mas com a consciência viva e livre estabelecida sobre uma verdade eterna e imutável.
O fardo é leve. A verdade já está estabelecida e a orientação é simples: “Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação de vossa mente.” (Romanos 12:1)
Riva Moutinho 19/07/2008

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Atenção - Próximo Encontro Comunitário

Amados e Queridos Caminhantes do Reino


Graça e Paz a todos da parte do Eterno e do Mestre!


No próximo domingo, dia 20 de julho, nosso encontro será realizado no Auditório da Escola Estadual Professor Domingos Orenelas (PRODOR), às 10 Horas, com entrada pelos portões dos fundos da Escola.
A funcionaria da Escola (Zilma), abrirá os portões a partir da 9 Horas.
Nesse encontro, contiuaremos nosso estudo do contexo por trás da Carta aos Gálatas e vamos participar da Ceia do Senhor.
É de vital importância a participação de todos os caminhantes da Estação Santa Luzia.
Querendo Deus, nos encontraremos lá.


Que a Graça de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo seja com você.


Márcio Alebral

A Supremacia do Bem

17/07/2008


A Supremacia do Bem


Por Ed René Kivitz


Escrevo sob o impacto das últimas notícias, que me despertam memórias remotas, como fantasmas que se recusam à cova. A Operação Satiagraha (movimento de resistência à ocupação britânica na Índia, proposto por Mahatma Gandhi e caracterizado pela não-violência), deflagrada pela Policia Federal, relativa às relações entre o famigerado “mensalão” e um amontoado de empresas predestinadas ao desvio de verbas públicas, coloca os brasileiros, mais uma vez, diante da corrupção sistêmica e aparentemente insuperável. Eis o mal mostrando sua carranca criminosa desde os degraus mais elevados do poder social e econômico. A morte do pequeno João Roberto Amorim Soares, 3 anos, insiste em lembrar que as ruas das nossas cidades vão, aos poucos, se confundindo com os cenários dos velhos filmes de faroeste, com a suspeita de que alguns policiais se acreditam mesmo encarnações de John Wayne. Mais uma criança abatida, agora brincando de roda de mãos dadas com João Helio, Isabella Nardoni e milhares de outras, que não tiveram tempo de descobrir que pais é esse. Eis o mal mostrando sua carranca infanticida nas calçadas das grandes metrópoles. As fotos de Ingrid Betancourt, resgatada dentre mais de 700 reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), estampando as primeiras páginas dos jornais, alimentam o debate a respeito da legitimidade do poder, seus meios e fins, no emaranhado geopolítico em que estamos todos mergulhados. Eis o mal mostrando sua carranca gananciosa nos palanques da ideologia.A lista poderia se estender, mas estes poucos fatos são suficientes para alertar quanto ao maior mal que o mal pode causar, a saber, nos conduzir a não crer em mais nada, nem mesmo em Deus, nem sequer em nós mesmos, nem na vida. Mas escrevo para lembrar Musil, o filósofo austríaco: “O homem é capaz de tudo, até mesmo de fazer o bem”. E também para compartilhar a reflexão de Jean Delumeau: “O mal certamente existe. Mas o bem também. O belo existe. A ternura existe. Todos podem constatar isso cotidianamente. Não fazer entrar a realidade do bem em uma análise da condição humana é cometer uma subtração ilegítima (...) Com os meios modernos de destruição pode-se hoje aniquilar em dois minutos uma cidade cuja construção e extensão haviam exigido dois mil anos de esforços. Contrariamente ao mal, o bem não faz barulho. Essa ‘discrição’ faz com que não o levemos suficientemente em consideração em nosso juízo sobre o mundo. ‘Ouve-se o estrondo da árvore que é derrubada, mas não se ouve a floresta que cresce’, diz o provérbio. A floresta que cresce silenciosamente é o bem que é realizado a cada dia na Terra, em torno de nós e também – por que não? – por nós (...) Suponha que, de repente, o voluntariado deixasse de existir, que subitamente ninguém mais viesse a ajudar ninguém... com isso a existência cotidiana ficaria paralisada e a vida se tornaria insustentável. A humilde generosidade de cada dia está na própria base do tecido social. Mas ela não atrai a atenção das mídias. Estamos tão acostumados com ela que não a percebemos. Em compensação, seu desaparecimento repentino criaria um vazio impossível de ser preenchido” (Delumeau, Jean. À espera da aurora: um cristianismo para o amanhã. São Paulo: Edições Loyola, 2007).Jesus afirmou o sal da terra e a luz do mundo. Não fossem os que respondem sim ao convite do Deus que é pura bondade, o mundo ficaria em trevas, e a terra seria um lugar sem graça onde se viver. Eis o Cristo, triunfando, e mostrando sua face amorosa todos os dias, em todo lugar, através daqueles que não se deixam vencer pelo mal, mas vencem o mal com o bem.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

LIÇÕES COM E DOS NETOS e uma férias!

LIÇÕES COM E DOS NETOS e umas férias!



Sempre amei ser pai. Desde os sete anos, quando papai fez uma casinha para minha mana Suely e para mim, e me disse: “Entre na casa, tenha filhos e ame uma mulher” — que me apaixonei pela paternidade.

“Dá pesada” era o meu paizinho!

Ora, eu entrei e tive forte desejo de amar uma mulher e de ter filhos, embora, por ser tão amado por meu pai e por amá-lo tanto, nada se me afigura-se mais desejável do que ser pai.

Assim casei. Dando muito mais importância à paternidade e à família do que ao próprio casamento. Sinceramente, ainda que de modo não falado comigo mesmo, porém, inconscientemente, o casamento era um detalhe a acompanhar a família; que, para mim, era o lugar relacional de muita felicidade.

E quantas foram as vezes em que eu entrava em transe ao ver meus filhos reunidos brincando à minha volta ou serenamente ouvindo histórias; as minhas próprias, as de meus pais, avós, tios e primos.

Hoje, já há tempos com os filhos todos adultos, e com dois netinhos lindos — a Hellena e o Mateuszinho, ela com quase nove anos, e ele com quase dois — observo as demonstrações deles [os netos] de grande prazer ao verem-me unido à minha mulher, com carinho e toque de afeto, de tal modo que eles elegeram tal modelo como referencia de alegria familiar.

E por que sei disso?

É que na Hellena, precoce como ela é, já faz tempo que ela não apenas expressa alegria com alegria, mas, de alguns anos para cá, faz isso com palavras e muitas declarações.

Já o Mateus apenas se regozija e pede mais... Gosta de se sentir amado por pessoas que se amam entre si na forma da relação preconizada: um casal de vôs, no nosso caso; e, ambos fazem o mesmo em relação aos pais deles.

Ora, saber disso é simples. Basta ver. Basta sentir. Basta enxergar com amor cuidadoso. Basta não ser surdo para as alegrias do espírito dos pequeninos.

Faz quase um ano que o Mateus está aqui com a gente. Juliana e o marido mudaram-se com ele do Rio para cá em outubro do ano passado.

No entanto, nos últimos meses, ele está passando todos os dias com a gente, aqui em casa. Os pais trabalham o dia todo e ele fica na casa do “Vovôôô” e da “Vozinha”, como ele nos chama.

Que delicia tem sido. Meu Deus! É um transe! Só que hoje o experimento de modo completo, e não mais apenas sentindo-me feliz pela felicidade de meus filhos. Não! Hoje tem mais. Fico em transe pelo todo. E, também, pela contemplação da mulher que eu amo sendo avó dos netinhos que eu amo; e, ao mesmo tempo, vendo e sentindo o amor deles por mim, de tal modo que se pudesse não faria mais nada além de receber e dar tais amores com toda alegria de pureza destilada no coração mediante anos de sentir e discernir os sentimentos.

E mais: a capacidade de observação desimpedida de um avô ou avó é quase sempre bem mais aguçada do que a dos próprios pais; isto quando se convive e observa-sentindo o netinho ou netinha.

Durante este tempo tenho me tornado assíduo no Discovery Kids, vendo e aprendendo dezenas de músicas dos desenhos ou shows instrutivos que o canal exibe.

Ainda neste mês estaremos com os dois netinhos juntos, aqui em casa. Hellena entrará de férias no dia 15, e estamos indo ao Rio fazer algumas coisas, e, sobretudo, para nosso coração, trazê-la para estar conosco.

Como é maravilhoso quando ela liga pra gente, sozinha, apenas para dizer que passou o dia com o coração cheio de saudades e, também, segundo ela, se perguntando: “O que será que meu vô e minha vó estão fazendo agora? Será que estão pensando em mim também?”

Além de ser uma sugestão de curtição verdadeira por parte dos pais e avós em relação a seus filhos e netos, o que escrevo é, sobretudo, com a finalidade de dizer que até ao final do mês, minha prioridade serão os netos, na atenção que daremos a eles.

Hoje em dia a Hellena só pode vir nas férias; e nós não queremos perder a oportunidade de estar com ambos, juntos.

Depois, quando os outros filhos nos derem mais netos, com todos eles desejaremos sempre estar juntos, bem como promover encontros entre eles.

Dou graças a Deus pela minha família extensiva [Pai, mãe, tios e tias, primos, filhos dos primos, netos, etc.]. Já por mais de quatro gerações somos uma família de amigos. Sim! Somos amigos de verdade, de tal modo que a angustia de um é preocupação de todos, assim como acontece também com as vitórias e alegrias. Ou seja: todos nos amamos!

Entretanto, durante estas “férias”, terei dar prioridade de atenção aos netos sem deixar de cumprir muitos compromissos de pregação e de gravações para a “Vem e Vê TV”. Porém, durante esse tempo, não estarei tanto na Internet, exceto para colar um ou dois textos novos a cada dia.

Cartas, no entanto, não poderei responder com a assiduidade com a qual respondo todas as cartas que consigo responder todos os dias.

Sobre a “Vem e Vê TV”, de fato, estou alegre. Alegre pela programação, com tanta instrução na Palavra, e, além disso, com muitos documentários muito interessantes. Gravo quase todos os dias, e muito me alegro em fazer isso. O material recentemente gravado em Israel está sendo editado e começa a ir ao ar. Está lindo e muito rico em seus conteúdos. Fique atento.


Receba meu beijo e meu carinho!



Nele, que nos dá vida e alegria, porque Ele é bom, e Sua misericórdia dura para sempre,



Caio


10 de julho de 2008
Lago Norte
Brasília-DF









--~--~---------~--~----~------------~-------~--~----~O Caminho é uma pessoa e seu nome é Jesus! -~----------~----~----~----~------~----~------~--~---

Bíblia Online

  © Blogger template 'Greenery' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP